Reflexões

PARA ONDE VAI O SEU DINHEIRO? QUANTO VOCÊ DOA?
1. Doar ensina a administrar, uma vez que apenas cuidamos das coisas de Deus. Um orçamento é uma excelente ferramenta para planejar bem os gastos, de acordo com os rendimentos disponí­veis, cumprindo as doações e ofertas que nascem do coração com alegria e prazer. Em seguida, pode-se controlar os gastos, para verificar para onde está indo o seu dinheiro. 
2. Freie (neutralize) o seu impulso consumista. Mesmo que haja dinheiro disponí­vel, não significa que ele precisa ser gasto. Poupar, aplicar, reservar para emergência ou investimento é importante. A tendência humana é ter sempre mais e gastar mais. Gastar mais do que ganhamos pode ser frequente, e os problemas financeiros aparecerão. Nunca compre por impulso: aprenda a planejar os gastos. 
3. Evite ao máximo comprar a prazo, pois isso significa que está sendo gasto dinheiro que ainda não foi recebido, comprometendo a renda futura. “Não devam nada a ninguém, a não ser o amor de uns pelos outros…” (Rm 13:8). 
4. Jamais compre algo por status. Essa é uma das principais causas pelas quais as pessoas envolvem-se em dí­vidas, pois, comparando-se com os outros, acabam estabelecendo um estilo de vida acima do que a renda permite. Aprenda a exercitar a humildade e viva com simplicidade: este é o padrão bí­blico de Fp 2.3. 
5 – Antes de comprar algo, faça a si mesmo perguntas como estas: 
– É desejo ou necessidade? – É realmente necessário e útil ou totalmente supérfluo? – Já verifiquei a relação custo x benefí­cio? – Haverá despesa de manutenção? Posso suportar tal despesa? – Quanto tempo preciso trabalhar para ganhar tal quantia? – Os benefí­cios compensam o esforço que fiz para conseguir o valor do bem? – Há algo mais importante onde devesse gastar (ou investir) este dinheiro?
Adaptado do texto “Você Administra Bem o seu Dinheiro?” de Marcos E. Fink. 
Edgard. 

CRIANÇAS PARA JESUS.
Algumas pessoas levaram as suas crianças a Jesus para que Ele as abençoasse. Lc 18.15
Na CPV, os NÚCLEOS são icentivados ao trabalho em Geração Integrada (Todas as idades juntas). 
Quando analisamos a realidade infantil brasileira, sentimos grande tristeza. Grandes índices de violência, abandono e aliciamento de menores em todas as formas nos dão um panorama dos grandes investimentos que precisamos fazer para mudar esse quadro. Precisamos trabalhar hoje, transformando a sociedade de agora e de amanhã.
TiaEdna 

 

ADVINHE QUEM VEM PARA JANTAR? (Quarto de Escuta)
Por que não existem mais igrejas cristãs na Turquia, onde Paulo esteve com Barnabé em sua primeira viagem missionária? O que aconteceu com as igrejas por ele fundadas? Por que no final do terceiro século 50% da população da Ásia Menor era cristã e hoje esta porcentagem não chega à metade de 1%? Em última análise, a resposta nua e crua é uma só: não poucos cristão têm o triste hábito de perder Jesus de vista. E, não existe cristianismo sem Cristo.
Nasci e cresci num ambiente religioso que tratava Jesus como a pessoa mais importante do mundo.
O livro Refeições Diárias com Jesus foi escrito para desenferrujar a igreja cristã e trazer de volta o Jesus das Escrituras para dentro das comunidades cristãs. Para acabar com o sentimento de inferioridade e a insegurança dos cristãos e para tornar a dar alegria e entusiasmo aos seguidores de Jesus que queiram estar ao lado dele o ano todo.

Elben César – Autor.

 

Dinheiro e Possessões em Provérbios 

Kevin DeYoung

Kevin DeYoung é o pastor da University Reformed Church em East Lasing, MI, EUA. Obteve sua graduação pelo Hope College e seu mestrado pelo Gordon-Conwell Theological Seminary. É autor de diversos livros, preletor em conferências teológicas e pastorais, é cooperador do ministério “The Gospel Coalition” e mantém um Blog na internet “DeYoung, restless and reformed“. Kevin é casado com Trisha com quem tem 4 filhos.

A Bíblia fala muito a respeito de dinheiro e possessões. Há muitos versículos que se referem a riqueza e pobreza. No que diz respeito a alguns assuntos, podemos hesitar porque a Bíblia diz muito pouco sobre eles. O que devemos pensar sobre bronzeamento? Bem, não temos muitas instruções específicas; por isso, não podemos ser dogmáticos nesse assunto.

No entanto, em referência a dinheiro e possessões, há um problema oposto. Porque a Bíblia fala muito sobre dinheiro, é tentador desenvolvermos um teologia desequilibrada sobre dinheiro.

Por um lado, é fácil percebermos de onde vem a teologia da prosperidade. Tire de seu contexto nacional algumas poucas promessas da aliança mosaica, tome a promessa de Malaquias 3 a respeito de abrir as janelas do céu, misture com algumas afirmações de Jesus sobre receber o que você pede com fé, e assim você constituirá um pequeno evangelho de saúde e prosperidade.

Por outro lado, é possível surgir com uma desequilibrada teologia de austeridade. Ressalte que Jesus nunca teve onde reclinar a cabeça, recorra à história do jovem rico, enfatize a parábola do rico insensato, e você terá uma teologia que diz que o dinheiro é mau, como o são aqueles que o têm.

Você poderia formar um argumento bíblico de que Deus ama os ricos. Apenas considere Abraão, Jó e Zaqueu. Veja a maneira como Deus abençoou reis obedientes. Considere a visão do deleite cósmico no jardim e na era por vir.

Você também pode facilmente elaborar um argumento bíblico de que Deus odeia os ricos. Pense na história do rico e Lázaro. Considere o livro de Tiago. Observe a versão de Lucas sobre o Sermão do Monte.

Então, como devemos pensar sobre dinheiro e possessões? Que princípios bíblicos devemos ter em mente quando consideramos riqueza e pobreza, quando lidamos com nossa própria pobreza ou riqueza? Há algumas poucas coisas que a Bíblia diz com mais freqüência. E isso é bom, porque há poucas coisas tão relevantes para pessoas em todos os lugares como ter uma boa teologia sobre dinheiro.

Onde começar

O livro de Provérbios é um ótimo ponto de partida para desenvolvermos uma teologia bíblica sobre possessões materiais. Para iniciantes, há muitos versículos sobre este assunto. E, o que é mais importante, há várias linhas diferentes de ensino sobre o assunto. Se você começasse por Gênesis, poderia concluir que Deus sempre faz seu povo prosperar. Se começasse por Amós, poderia pensar que todas as pessoas ricas são opressoras. Mas Provérbios examina riqueza e pobreza sob vários ângulos. E, porque Provérbios é um livro de máximas gerais, os princípios que encontramos nos provérbios são mais facilmente transferíveis ao povo de Deus em diferentes épocas e lugares.

Recentemente, num domingo à noite, dei à minha congregação dez princípios extraídos de Provérbios sobre dinheiro e possessões materiais. Não quero apresentar todo o sermão aqui, mas achei que valeria a pena alistar, pelo menos, os pontos principais. Talvez eu possa apresentar os detalhes posteriormente.

Darei os pontos em ordem de quanto o livro de Provérbios diz sobre um princípio específico. Essa maneira de apresentá-los terminará com os temas mais importantes.

Dez princípios sobre dinheiro e possessões extraídos de Provérbios

1. Há extremos de riqueza e pobreza que oferecem tentações singulares à que vivem nesses extremos (Pv 30.7-9).

2. Não se preocupe em acompanhar o estilo de vida de seus amigos e vizinhos (Pv 12.9; 13.7).

3. Os ricos e os pobres são mais semelhantes do que pensam (Pv 22.2; 29.13).

4. Você não pode dar mais do que Deus (Pv 3.9-10; 11.24; 22.9).

5. A pobreza não é agradável (Pv 10.15; 14.20; 19.4).

6. O dinheiro não lhe pode dar segurança final (Pv 11.7; 11.28; 13.8).

7. O Senhor odeia aqueles que ficam ricos por meio de injustiça (21.6; 22.16, 22-23).

8. O Senhor ama aqueles que são generosos para com o pobre (Pv 14.21, 31; 19.7; 28.21).

9. Trabalho árduo e boas decisões levam geralmente a maior prosperidade (Pv 6.6-11; 10.4; 13.11; 14.24; 21.17, 20; 22.4, 13; 27.23-27; 28.20).

10. O dinheiro não é tudo. Não satisfaz (Pv 23.4-5). É inferior à sabedoria (Pv 8.10-11, 18-19; 24.3-4). É inferior à justiça (Pv 10.2; 11.4; 13.25; 16.8; 19.22; 20.17; 28.6). É inferior ao temor do Senhor (Pv 15.16). É inferior à humildade (Pv 16.19). É inferior a bons relacionamentos (Pv 15.17; 17.1).

Chegando a conclusões delicadas e achando a Cristo

Você não pode entender o ponto de vista bíblico sobre o dinheiro se não está preparado para aceitar diversas verdades mantidas em tensão.

Você talvez obtenha mais dinheiro se trabalhar bastante e for cheio de sabedoria. Mas, se toda a sua preocupação é obter mais dinheiro, você é um grande insensato.

O dinheiro é uma bênção da parte de Deus, mas você será mais abençoado se o der.

Deus lhe dá dinheiro porque ele é generoso; mas ele é generoso com você para que você seja generoso com os outros. E, se você é generoso em dar seu dinheiro, Deus será, provavelmente, mais generoso com você.

É sábio economizar dinheiro, mas não pense que o dinheiro lhe dá verdadeira segurança.

Riqueza é mais desejável do que pobreza, mas a riqueza não é tão boa quanto justiça, humildade, sabedoria, bons relacionamentos e o temor do Senhor.

Em 1 Coríntios 1.30-31, lemos que Cristo é para nós, da parte de Deus, sabedoria, justiça, santificação e redenção, para que, como está escrito: &Aquele que se gloria, glorie-se no Senhor&. O dinheiro não pode lhe dar qualquer das coisas que você necessita essencialmente. Não pode torná-lo santo. Não pode torná-lo justo. Não pode salvá-lo de seus pecados. A riqueza é um sinal de bênção, mas é também uma das maiores tentações porque seduz você a gloriar-se em si mesmo. O dinheiro promete ser a sua dignidade e promete torná-lo auto-suficiente. Ele o convida a gloriar-se em outras coisas ou em outras pessoas, exceto no Senhor.

Portanto, dinheiro é totalmente uma questão de fé. Creia que fazer coisas à maneira de Deus é o melhor caminho para você. Creia que, se você der seu dinheiro, Deus pode dá-lo de volta. Creia que o dinheiro pode ser bom. Mas não ouse crer que ele é tudo. O dinheiro é um dom de Deus, mas os dons de que você realmente precisa só podem ser achados em Deus.

Traduzido por: Wellington Ferreira
Copyright© Kevin DeYoung 2011
Copyright© Editora Fiel 2011

Traduzido do original em inglês: Money and Possessions in Proverbs – Extraído do Blog The Gospel Coalition.

O leitor tem permissão para divulgar e distribuir esse texto, desde que não altere seu formato, conteúdo e / ou tradução e que informe os créditos tanto de autoria, como de tradução e copyright. Em caso de dúvidas, faça contato com a Editora Fiel.

Da Página Fiel, a partir do Twitter do C.Gilles

……………………………..